Emigrazione Notizie
  Notizie     
 

Iscritti
 Utenti: 713
Ultimo iscritto : agustinaventura
Lista iscritti

Log in
Login
Password
Memorizza i tuoi dati:

Visitatori
Visitatori Correnti : 71
Membri : 0

Per visualizzare la lista degli utenti collegati alla community, devi essere un utente registrato.
Iscriviti

italiani all'estero
FILEF
I Film documentari


Radio e TV


Fiei


Premio Conti IX°
Premio Conti 9 Edizione


# - Siti di informazione
Global Research (IT)
SELVAS.ORG (IT)
SBILANCIAMOCI (IT)
SINISTRA in RETE (IT)
Global project (IT)
CARTA MAIOR - Brasile (IT)
SUR Argentino (IT)
Il Fatto Quotidiano (IT)
PRENSA DE FRENTE (IT)
Forum Palestina (IT)
INFO PALESTINA (IT)
LAVOCE.INFO (IT)
RADIO ARTICOLO1 (IT)
F I L E F (IT)
Fondazione L O G O S (IT)
REDATTORE SOCIALE (IT)
GUSH-SHALOM (IT)
F I E I - Notizie (IT)
TELESUR Americalatina (IT)
ARCOIRIS TV (IT)
ARTICOLO 21 (IT)
RADIO POPOLARE (IT)
LA REPUBBLICA (IT)
CORRIERE DELLA SERA (IT)
LA STAMPA (IT)
L'UNITA' (IT)
IL MANIFESTO (IT)
IL MESSAGGERO (IT)
L' AVVENIRE (IT)
L'ESPRESSO (IT)
ANSA (IT)
MEGACHIP (IT)
EMERGENCY (IT)
AMNESTY (IT)
ALL AFRICA (IT)
LIMES (IT)
MANITESE (IT)
NIGRIZIA (IT)
UNIMONDO (IT)
PEACELINK (IT)

Social


Tours e Corsi
FilefTour
corsi di italiano


Eventi
<
Luglio
>
L M M G V S D
-- -- -- -- -- 01 02
03 04 05 06 07 08 09
10 11 12 13 14 15 16
17 18 19 20 21 22 23
24 25 26 27 28 29 30
31 -- -- -- -- -- --

Questa settimana

 
BRASILE: Referendo constitucional na Itália: INCA-CGIL defende voto no Não
- Inserito il 07 novembre 2016 alle 13:22:00 da redazione-IT. IT - ITALIANI ALL'ESTERO

No Brasil, mais de 300 mil cidadãos italianos podem participar no 4 de dezembro

O presidente do Instituto Nacional de Assistência da Confederação Geral Italiana do Trabalho (INCA-CGIL), Nino Galante, visitou nesta sexta-feira a sede nacional da CUT, em São Paulo, onde defendeu a necessidade de votar NÃO no "Referendum" Constitucional que ocorrerá no dia 4 de dezembro.
“No Brasil há mais de 300 mil cidadãos italianos com direito a voto, o que nos estimula a desenvolver uma intensa campanha em defesa da democracia na Itália e aprovarmos o não no referendo”, declarou Nino Galante.

São dez os argumentos em defesa do NÃO.

Não é a reforma da Constituição que pode dar uma maior estabilidade ao governo. A estabilidade de qualquer governo depende da solidez da maioria parlamentar que o sustenta.
O novo Senado, em sua composição e funções, não será realmente representativo de Regiões, nem de entidades locais e não terá a possibilidade de determinar realmente sobre as leis abrangentes em relação às entidades territoriais.
O novo procedimento legislativo é mais complexo e variável do que o que está em vigor: são previstos diferentes procedimentos - em conformidade com as diversas possibilidades de intervenção do Senado (por matéria e fonte normativa) - o que determinará maior incerteza e conflitos processuais.
A reforma não amplia os espaços de representação e não dá garantias adequadas às minorias políticas. Tudo é adiado para uma posterior modificação regulamentar, para uma lei futura e uma lei eleitoral.
Há uma excessiva centralização das competências legislativas e dos poderes decisivos, sem nenhuma garantia de espaço de autonomia legislativa para as Regiões.
O estado terá possibilidade de dar maior autonomia às Regiões "virtuosas", correndo risco de criar Regiões de série A e Regiões de série B.
Não há uma verdadeira redução de desperdícios. A quantidade da poupança feita com o cancelamento das indenizações dos senadores é inferior ao que poderia ser feito apenas modificando os regulamentos, colocando vínculos e limites na diária e no reembolso e reduzindo as taxas remuneratórias. Tudo isso, assim como para os salários dos conselheiros regionais, poderia ser feito através da lei ordinária.
A introdução do “voto em data certa” para as proposta vindas do governo, sem nenhum limite quantitativo e qualitativo, atribui ao poder executivo a possibilidade de vincular a agenda parlamentar, rompendo o equilíbrio entre os poderes.
O Estado fará leis sobre matérias que se refletem na vida das comunidades locais, da saúde até o uso da gestão territorial, sem nenhuma possibilidade que as Regiões possam se contrapor.
Não será necessária uma maioria efetiva para eleger o Presidente da República.


FONTE: http://cut.org.br/noticias/referendo-constitucional-na-italia-inca-cgil-defende-voto-no-nao-5451/

Visualizzazioni : 356 | Torna indietro

 

GOOGLE Adv


filef.info


e-book
Memories of a person of interest - di Carmen Lavezzari
Le nuove generazioni nei nuovi spazi e tempi delle migrazioni - a cura di Francesco Calvanese
2012, Fuga dall'Italia - Speciale di Cambiailmondo
L'Altro siamo noi - di William Anselmi
L'Altro siamo noi - di William Anselmi
L'Altro siamo noi - di William Anselmi
Razzismo Democratico - di Salvatore Palidda
Agenti-4
Cartas
aigues-mortes
narrazioni-migranti
ebook-10_anni_di_migrazioni


 
 © FILEF
Iscriviti Cancellati

Archivio notizie

 
Contattami
Realizzato con ASP-Nuke 2.0.4
Questa pagina è stata eseguita in 6,298828E-02secondi.
Versione stampabile Versione stampabile